Tratamento Médico

Coito programado

O coito programado consiste na determinação do melhor período do ciclo menstrual para o casal ter relações sexuais, de modo a conseguir uma gestação. Pode ser realizado em ciclo natural ou com medicação indutora da ovulação. A principal indicação para coito programado são mulheres com anovulação (sem falência ovárica), que devem reunir as seguintes condições:

  • Confirmação de que os ciclos são anovulatórios;
  • Espermograma dentro dos parâmetros da normalidade;
  • Confirmação da existência de permeabilidade tubárica;
  • Ecografia ginecológica com sonda vaginal, sem alterações que contra indiquem a terapêutica.

Tratamento Laboratorial

Baixa complexidade

Inseminação Artificial

A Inseminação Artificial (IA) consiste na introdução de espermatozóides, de forma artificial, na cavidade uterina. É uma das técnicas mais usadas em tratamentos de fertilidade, sendo indicada para casais em que a senhora revele alterações cervicais e\ou o espermograma revele alterações seminais leves. Consiste em:

  • A indução da ovulação;
  • Monitorização da ovulação com recurso a ecografia e análises hormonais;
  • Tratamento do sémen (no dia da IA) para obtenção de uma concentração elevada de espermatozoides móveis;
  • Inseminação e controlo da fase lútea.

Alta Complexidade

Fecundação In Vitro (FIV)

A Fecundação In Vitro convencional (FIV) é um processo que envolve a recuperação dos óvulos e a inseminação dos mesmos no laboratório, com os espermatozóides do cônjuge ou de um dador. Os embriões resultantes são cultivados e transferidos entre o dia 3 ou 6 de desenvolvimento. A fertilização in vitro (FIV) pode ser usada como um tratamento efectivo para infertilidade para todos os casais, à excepção daqueles em que a concentração e a mobilidade espermática são muito reduzidas. O ciclo FIV envolve:

  • A estimulação ovocitária e controlo ecográfico;
  • Quando os folículos atingem a dimensão ideal, a maduração ovocitária é desencadeada com a administração da hormona HCG;
  • Passadas 36 horas, procede-se à colheita dos ovócitos, por punção dos ovários, guiada por ecografia endovaginal;
  • O tratamento do sémen e colocação em contacto directo com os ovócitos resultantes da punção folicular.
Microinjecção Intra-citoplasmática do Espermatozóide (ICSI)

A ICSI consiste na injecção intracitoplasmática de um único espermatozóide no interior do óvulo maduro, com uma agulha dez vezes mais fina do que um fio de cabelo. É um processo de alta tecnologia e requer a existência de um microscópio invertido e um sistema de micromanipulação e injecção. Esta técnica está indicada, principalmente, para casos em que existe uma qualidade seminal reduzida.

As etapas de tratamento são idênticas às da técnica de fertilização in vitro convencional, com excepção da inseminação do ovócito que, neste caso, ocorre por microinjecção do espermatozóide  no óvulo.

Transferência Embrionária

Tanto na FIV convencional como na ICSI, após a confirmação da fecundação, ocorre o cultivo e avaliação embrionária. A equipa laboratorial e clínica em conjunto, decidem o melhor dia para a realização da transferência embrionária. A transferência é realizada pelo seu médico e são seleccionados pelo laboratório os embriões de melhor qualidade.

A transferência é realizada por via vaginal, e consiste, na deposição dos embriões no útero. É um processo indolor e decorre sem necessidade de anestesia ou sedação. Após a transferência, a paciente deve ficar em repouso 20 minutos.

Os embriões sobrantes, de boa qualidade podem ser vitrificados desde que exista o consentimento do casal.

 Criopreservação

Esta técnica permite preservar os embriões excedentes em azoto líquido, a -196 ºC, para que possam ser posteriormente utilizados. A decisão da criopreservação e da utilização, ou não, dos embriões criopreservados é escolha do casal.

No futuro, o casal pode optar por doar os seus embriões a outro casal, doá-los para investigação ou destruí-los. Os embriões poderão estar armazenados durante 3 anos, período após o qual entraremos em contacto com o casal para saber que destino pretendem dar aos embriões.

Tratamentos Cirúrgicos

Pode ser necessário, tanto para o homem como para a mulher, recorrerem a tratamentos cirúrgicos. As circunstâncias mais recorrentes para o sector feminino são: miomas internos ou externos na cavidade uterina, aderências pélvicas, quistos no ovário, endometriose, malformações do útero e trompas, entre outros. Para o sector masculino são: biopsia testicular, vasectomia, varicocele, criptorquidia, entre outros.

Hoje em dia, este tipo de intervenção realiza-se em sistema ambulatório, com recurso a anestesia local ou sedação para maior comodidade e facilidade de recuperação do paciente.

 

×

Make an appointment and we’ll contact you.

Nome (obrigatório)

Sobrenome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Assunto

A sua mensagem